ACOPIAMA ficha

Associação de Consultoria e Pesquisas Indianistas da Amazônia
 

Para entender a natureza da contribuição da ACOPIAMA no PAIESM precisa antes de tudo ter como referencia seu Estatuto, considerando com a maior atenção os artigos 2,3,4,6,7, e 8. (ver especificamente pp. 1-3)



Para entender a especificidade da parceria entre o CGTSM e a ACOPIAMA cabe tomar como referência o art.5, tão crucial que vamos reproduzi-lo aqui:

 

Art. 5º A ACOPIAMA considera sua pluridecenal contribuição no Projeto Integrado de Etnodesenvolvimento do Povo Sateré-Mawé -PIESM (1), gerenciado pelo Conselho Geral da Tribo Sateré-Mawé em quanto expressão institucional desse Povo, seu serviço e compromisso prioritário, sendo que a vocação do PIESM a se pensar como motor de desenvolvimento regional e catalizador de um sistema de inovação local mais abrangente o constitui como instrumento facilitador e sinérgico à realização de projetos conformes ao art. 4 ao serviço de outros atores sociais ou institucionais amazônicos

 

Isso faz com que a Acopiama seja uma entidade que se coloca PERMANENTEMENTE como instrumento ao serviço do PAIESM em quanto projeto estratégico integrado que se materializa como ação e articulação política do CGTSM.

A Acopiama atua então como instrumento mediador, antes de tudo cultural, através do qual o CGTSM procura redirecionar à lógica de ação dos potenciais parceiros governamentais, não governamentais, empresariais, para que qualquer intervenção externa se harmonize com sua própria estratégia e sua própria visão do etnodesenvolvimento do Povo Sateré-Mawé..

Essa função da Acopiama para com o CGTSM se fundamenta na história, pois a Acopiama participou do processo que criou os pressupostos para a idealização do PAIESM. A Acopiama era com efeito a associação amazonense federada da Yara, no âmbito da Mesa de harmonização da Aliança do Clima (Aliança entre centenas e centenas de munícios europeus e a COICA - Coordinadora de las Organizaciones Indígenas de la Cuenca Amazónica).

Alicerce da ideia de cooperação ao desenvolvimento veiculada naquela mesa de harmonização era o princípio de reciprocidade: quando dois ou mais parceiros colaboram, não é um que ajuda o outro, mas sim cada um ajuda cada outro, em harmonia com o interesse geral. Assim como na Aliança do Clima os municípios da Europa apoiavam com projetos e financiamentos a COICA, e a COICA se comprometia a proteger as florestas beneficiando assim o clima no mundo todo, do mesmo jeito o CGTSM nunca aceitou ajudas unilaterais, mas sim sempre procurou apoio para melhorar a auto-organização étnica e a qualidade da vida das comunidades sateré-mawé em troca dos benefícios do waraná e do prestigio que qualquer parceiro pode obter colaborando a um objetivo de tão grande importância.

A Acopiama considerava que modelos de cooperação assimétrico não eram compatíveis com a dignidade dos povos indígenas, e com o reconhecimento dos valores dos quais os povos indígenas eram portadores, o que a fazia apta a assumir essa tarefa essencial dentro do Projeto Waraná.

Essa colocação determina a natureza da atividade de assessoria ao CGTSM por parte da Acopiama. Um projeto desse porte pioneiro precisa obviamente da mobilização das mais variadas formas de assessoria pontual especializada nos mais vários campos.  Mas o papel da Acopiama é mais abstracto, e por isso precisa ser continuativo e permanente: acompanhar e avaliar o impacto sistêmico das dinâmicas projetuais implementadas no PAIESM, focando a prevenção de qualquer tipo de conflito que essas mudanças possam acarretar, ou apontando resoluções dos conflitos em jogos de soma positiva.

Consequentemente à lógica e à delicadeza dessas tarefas, a Acopiama nunca procura recursos para sustentar de forma independente sua própria ação no PAIESM. Pelo contrário, a continuidade da ação da Acopiama no contexto do PAIESM, desde o começo e até hoje, é integralmente financiada por recursos autônomos do CGTSM, mesmo que acontecendo em alguns períodos limitados que ela tenha participado em projetos a fundo perdido nos quais de toda maneira entrou e atuou como parceiro subordinado ao CGTSM.


(1) A ultima redação e aprovação social do Estatuto da Acopiama precede a mudança de definição do Projeto Integrado de PIESM para PAIESM, mudança que simplesmente evidencia e salienta a característica de autonomia do Projeto Waraná.

a federação com Acopiama na carteirinha de associado da Yara de 1998




SelectionFile type iconFile nameDescriptionSizeRevisionTimeUser